Jornal Folha Sertaneja – 17 anos de caminhada

Redação – Rede Cultura  Fonte/Folha Sertaneja

E o site www.folhasertaneja.com.br completa 16 anos

Por Atônio Galdino

Em 21 de novembro de 2003 aposentei-me da Chesf depois de mais de 36 anos de trabalho, os últimos 10 deles como Assessor de Comunicação da Administração Regional da Chesf em Paulo Afonso.

Desde os tempos de aluno do Ginásio Paulo Afonso, quando, na presidência do Grêmio Literário Olavo Bilac, fiz ressurgir o jornal estudantil A Voz dos Estudantes, estive envolvido com essa área de comunicação, jornalismo, radialismo. Ajudei a criar a Rádio Cultura de Paulo Afonso e depois, a Rádio Bahia Nordeste.

Quando a Chesf era administrada em Paulo Afonso por Ricardo de Holanda Neves, em sociedade com ele fizemos o Jornal de Paulo Afonso, de vida curta.

Fui, durante vários anos, até que ele fechou, correspondente do Jornal da Bahia, de Salvador.

Embora nunca tenha cursado uma Faculdade de Jornalismo e tenha optado em fazer Letras e depois pós-graduações e mestrado na área de Turismo, sempre atuei nessa área de comunicação.

Além de atuar nessa área na Administração da Chesf, também fui Coordenador de Comunicação e Turismo na gestão do Prefeito Abel Barbosa e depois, por um ano, Assessor de Comunicação do Prefeito Luiz de Deus em seu primeiro governo e deixei esse cargo porque fui nomeado para assumir a gestão da Divisão Regional de Recursos Humanos, de que fui o primeiro gerente, em Paulo Afonso. Na gestão do prefeito Anilton Bastos também fui Assessor de Comunicação por um ano e meio.

Em 18 de Fevereiro de 2004, ao criar a Galcom Comunicações, fundei um pequeno núcleo de produção de vídeos sociais, documentários, a Galvídeo e criei o jornal Folha Sertaneja, um jornal mensal.

Para isso contei com o apoio de colaboradores pois, já naquele tempo, o que se conseguia era apenas suficiente para se manter o jornal mensal.

Antônio Galdino, no Cepeazinho, em 18 de Fevereiro de 2004, no lançamento do jornal Folha Sertaneja

Tive o imenso prazer de receber com colaborador, que muito nos ensinou, a todos nós, o jornalista aposentado do jornal A TARDE, de Salvador, Clementino Heitor e também contamos com o trabalho do jornalista Ednaldo Júnior, conhecido como Júnior Padão, hoje professor universitário e comentarista político da Rádio Angiquinho. Para cuidar do noticiário esportivo, contamos com o apoio de Nilson Brandão. A parte social ficou a cargo de Nadja Maria Monteiro. Como repórter de campo ali estava Giuliano Ribeiro, hoje diretor da Rádio Angiquinho e logo se juntou à equipe o repórter Antônio Carlos Zuca.

Procuramos ter o apoio comercial da Prefeitura de Paulo Afonso, da Câmara Municipal de Paulo Afonso e da Chesf que possuem nos seus orçamentos recursos para publicidade.

E tivemos um pequeno apoio por algum tempo. Assim também de algumas lojas do comércio local.

Da Esq. Nilson Brandão, Nadja Maria, Júnior Padão, Giuliano Ribeiro, Antônio Galdino  e João Gomes Araújo, prefeito de Jatobá/PE

O lançamento da edição Número 01 do jornal foi programado para acontecer em um jantar com a sociedade pauloafonsina, comerciantes, empresários, instituições públicas e privadas, evento marcado para acontecer no dia 18 de fevereiro de 2004 no Cepeazinho.

E assim aconteceu…

Mas, já aí o jornal Folha Sertaneja enfrentou seu primeiro impacto. Havia sido acordado com uma instituição da cidade que esta instituição patrocinaria esse jantar simples de lançamento jornal mas, outros interesses mudaram tudo de última hora.

Dr. José Fernandes (OAB), Ten.Cel. Nilton(20º BPM), Erivaldo (Ascopa), Gilberto Pedrosa(APA)

Sebastião Leandro (SUPRAVE), Francisco (Rio Malhas), Josimar Luís (Maçonaria)

À esquerda: Dr. João Lima (Pres. CMPA), Leônidas Marinho (Fachesf), Regivaldo Coriolano (Vereador)

Todos os convidados presentes, autoridades da cidade, prefeitos da região, cerca de 100 pessoas e estranhamos a ausência desse patrocinador de Paulo Afonso que era esperado para se começar a programação prevista para aquela noite.

Vendo a minha natural ansiedade, uma pessoa amiga me chamou à parte e me disse que essa pessoa não viria e que havia orientado outras pessoas que trabalhavam com ela para também não virem para o lançamento do jornal e que também não assumiria o patrocínio acordado.

Foi um primeiro choque. Grande. Tive que assumir os custos do lançamento e ainda fingir que estava tudo bem para que os outros convidados nada percebessem.

E tudo isso aconteceu porque nesta primeira edição saía uma matéria assinada pelo jornalista Clementino Heitor de Carvalho, mostrando uma situação de quase fechamento de uma grande empresa da área de piscicultura que havia se instalado em Paulo Afonso.

Esse e outros tombos foram acontecendo pelo caminho e, em vários momentos, se percebeu claramente a intenção de alguns gestores de fazer com que o jornal fosse por eles manipulado, o que nunca aconteceu.

Os pequenos acordos de apoio de alguns órgãos eram, de vez em quando, suspensos com as justificativas as mais bobas que existiam, algumas até motivos de risos.

À medida que os anos foram passando, as pessoas, os colaboradores dos primeiros tempos foram se afastando para cuidar de seus próprios trabalhos. Também os anunciantes optaram por outros tipos de formato de divulgação ou nenhum deles mas deixaram de anunciar no Folha Sertaneja e ficamos quase sós. Dois destes anunciantes continuam nos ajudando um pouco e fazem isso desde os primeiros tempos do jornal: Os Supermercados SUPRAVE, de Sebastião Leandro de Morais, que estava no lançamento da primeira edição do jornal e a Casa O FERRAGEIRO.

Mas o jornal continuou saindo todos os meses. Já chegou a ter, nas suas primeiras edições, até 20 páginas em dois cadernos. Hoje, a média tem sido 12 páginas. A diagramação cuidadosa, a criatividade, as artes finais começaram com Son, depois o irmão Tony e há anos está sob os cuidados profissionais de Admilson Gomes que cuida direitinho do seu visual todos os meses. Durante muitos anos contamos com o eficiente trabalho de Zenaide Novaes nos trabalhos de Secretaria e administrativos, funções estas exercidas hoje por Ricardo Costa foi também, ao lado de Nícolas, do Departamento da Galvídeo.

Muitos têm enviados textos e a presença mais frequente é do colunista, professor Francisco Nery que sempre encabeça a página 2, a página de Opinião do jornal Folha Sertaneja.

Neste mês de Fevereiro de 2021 gostaríamos de estar comemorando estes 17 anos do jornal Folha Sertaneja com um grande evento ou um encontro com o da edição Nº 01. Impossível, e não apenas pela pandemia.

Desde o mês de Agosto de 2020 que o jornal Folha Sertaneja está circulando sem os apoios esperados. Como disse, apenas os Supermercados SUPRAVE e O FERRAGEIRO continuam patrocinando o jornal Folha Sertaneja, com pequenos valores, muito pequenos para os custos mensais para a manutenção do jornal e da empresa Galcom Comunicações, com empregados e seus custos sociais.

Se estamos chegando aos 17 anos de caminhada é – sempre dizemos isso – “Até aqui nos ajudou o Senhor” (I Sm 12:7).

A edição Nº 199 do jornal Folha Sertaneja, do mês de janeiro foi publicada apenas no formato online e enviado para algumas centenas de pessoas via Whatsapp e email. Não foi impressa ainda. E estamos preparando a edição Nº 200, deste mês de Fevereiro, a edição dos 17 anos de fundação do jornal. Sem nenhuma perspectiva de impressão ainda.

Nela, que será uma edição bem especial, desejamos apresentar uma retrospectiva destes 17 anos quando registramos a história da vida de Paulo Afonso nas gestões municipais dos prefeitos Paulo de Deus, Wilson Pereira, Raimundo Caires, Anilton Bastos e Luiz de Deus.

E, vamos pensar nas edições seguintes…

Quando ao site www.folhasertaneja.com.br, ele foi criado um ano depois da edição impressa como um presente do Interjornal administrado por Sérgio e Celso Xavier, e sediado em Maceió. Esta empresa, Interjornal, hospedou e deu a necessária manutenção a este site por muitos anos, até 2019. A estes jovens comunicadores serei sempre grato.

A partir de 2019 passamos a ser hospedados em outro local e contamos para isso com o apoio do site www.seliganamusica.com  e do apoio local de Nilton Alcântara (Negrito).

Temos a alegria de novamente comunicar que o site tem se superado a cada mês no número de acesos. Em 2020, o site registrou 1 milhão, 360 mil acessos, o que dá uma média diária superior a 4 mil acessos. No mês de janeiro de 2021, o site registrou 143.430 acessos (média diária de mais de 4.600 acessos) e nos primeiros 16 dias de Fevereiro mais de 70 mil acessos, mantendo-se a média de outros meses.

Neste mês do aniversário do site www.folhasertaneja.com.br estamos oferecendo aos internautas algumas novidades em alguns dos seus canais.

No Canal MEMÓRIA VIVA, estamos resgatando a história e memórias de pessoas que deixaram suas marcas positivas na vida de Paulo Afonso.

No Canal TURISMO, além das matérias de turismo estaremos apresentando uma série de artigos sobre o tema. Histórias e atrativos turísticos de Paulo Afonso e região.

No Canal PAISAGENS SERTANEJAS, estaremos, com texto de vários autores, focando cenários e paisagens de Paulo Afonso e região, tais como Rio São Francisco, Canion, Usinas Hidrelétricas, Serra do Umbuzeiro, Raso da Catarina, Estrada de Ferro Paulo Afonso, Sítios Arqueológicos de Paulo Afonso e outros.

É a nossa forma de agradecer pelos acessos de tantos milhares de internautas.

Mantemos a FÉ de continuar contando as histórias recentes da cidade e da região no nosso jornal Folha Sertaneja, impresso regularmente todos os meses e nas páginas eletrônicas do no site, até quando for o querer de Deus.

Obrigado, sempre muito obrigado pela sua companhia.

Inté!

Antônio Galdino da Silva

Fundador e diretor do jornal Folha Sertaneja

e do site www.folhasertaneja.com.br

Comentários