Paulo Afonso terá o Memorial Abel Barbosa com a sede da ALPA e Biblioteca

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Rede Cultura – Fonte Folha Sertaneja

Por Antônio Galdino

Uma das figuras públicas mais importantes da história de Paulo Afonso é o ex-vereador e ex-prefeito Abel Barbosa que, ao lado de outros pioneiros, se doou por inteiro na luta para a emancipação política deste município, há 62 anos atrás.

A sua história, mostrada em vários aspectos no livro Abel Barbosa – o inventor de Paulo Afonso, de Antônio Galdino da Silva, que retrata um lutador nato, desde os seus tempos de adolescente, nos municípios do Agreste pernambucano, participando ativamente de campanhas de políticos renomados como o senador Apolônio Sales e os governadores de Pernambuco Agamenom Magalhães e Barbosa Lima Sobrinho.

Há anos vem a Academia de Letras de Paulo Afonso lutando pelo reconhecimento público do ex-prefeito e ex-vereador Abel Barbosa, também um dos fundadores dessa Academia e falecido em 26 de abril de 2018, prestes a completar 90 anos de vida, dos quais, 68 deles morando em Paulo Afonso.

Numa reunião com a diretoria da ALPA, no dia 19 de agosto, Dia do Historiador, o Prefeito de Paulo Afonso, Luiz Barbosa de Deus, acatou o pedido desta Academia e autorizou que o hoje conhecido Espaço Cultural Raso da Catarina seja o Memorial Abel Barbosa e nele seja instalada a Academia de Letras de Paulo Afonso e a Biblioteca Abel Barbosa e Silva, também criada pela ALPA há mais de dois anos mas ainda não instalada por falta de espaço para isso.

A aprovação do pedido da ALPA pelo Prefeito de Paulo Afonso tem ainda um peso histórico muito forte, uma vez que esse prédio, já tombado como patrimônio público municipal foi construído pela Chesf logo que esta empresa hidrelétrica se instalou na região e nele funcionavam serviços sociais coordenados por D. Marieta Ferraz, esposa do Diretor Técnico da Chesf, Engenheiro Otávio Marcondes Ferraz e quando foi realizada a primeira eleição para prefeito de Paulo Afonso, esse prédio foi a sede a primeira prefeitura nas gestões dos prefeitos Otaviano Leandro de Morais, Adauto Pereira de Souza, Manoel Pereira Neto e Edison Teixeira Barbosa, portanto, do ano de 1958 até o ano de 1979.

Prefeito Manoel Pereira Neto e equipe em frente à Prefeitura, hoje Espaço Cultural Raso da Catarina

Ao ser nomeado prefeito em 4 de agosto de 1979, Abel Barbosa decidiu transformar a antiga pista de aviação na Avenida Apolônio Sales e nessa avenida criar a área administrativa do município, sendo construídas ali a Prefeitura Municipal, como assegura o Dr. Paulo Lopis, que foi Secretário de Administração da gestão de Abel Barbosa. Posteriormente foram construídos o Fórum Municipal Adauto Pereira de Sousa (onde hoje funciona a secretaria municipal de Saúde) e só depois, a Câmara Municipal de Paulo Afonso, em 1995.

O prédio da chamada Prefeitura Velha, na Rua Landulfo Alves funcionou durante anos com Biblioteca Pública Municipal Monteiro Lobato e sede do Departamento Municipal de Cultura.

A biblioteca ficou fechada durante anos até ser reinaugurada em novas instalações, próxima à Uneb e à Igreja de São Francisco.

O salão da Biblioteca Municipal Monteiro Lobato foi reformado e destinado a receber exposições periódicas.

Ao ser criado o Plano Municipal de Cultura – PMC, para o decênio 2018/2027, aprovado pela Câmara Municipal e sancionada como a Lei Municipal Nº 012/2018 de 23 de fevereiro de 2018, em suas páginas 35 e 36, ao apresentar o diagnóstico da estrutura física do setor cultural o PMC diz, sobre o ESPAÇO CULTURAL RASO DA CATARINA:

“Também de expressivo valor histórico, foi sede da prefeitura do município, nos primórdios de sua existência e depois teve outras ocupações do setor público, como a Secretaria de Educação. Transformado em espaço para exposições e também em biblioteca municipal, inicialmente, mas que teve esta atividade desativada. É hoje somente espaço para exposições e realização de oficinas culturais voltadas à formação musical, canto e artes cênicas. Ao seu lado, na parte externa, encontra-se a arena Gilberto Leal, que serve para apresentações cênicas de rua e shows musicais.”

E acrescenta:

SITUAÇÃO DE USO:

 Mesmo contando com um espaço físico amplo, e com atividades voltadas à formação cultural, apresenta ociosidade na sua ocupação;

 Necessita ainda de equipamentos de segurança, como câmeras e alarmes;

 Necessita também regulação de uso do espaço.”

“Tendo em vista a excepcional contribuição que o ex-prefeito e fundador da ALPA, Abel Barbosa deu, por toda a sua vida, para o município de Paulo Afonso, desde a luta para a sua emancipação, a Academia de Letras de Paulo Afonso, com a atuação direta de seus membros presentes na reunião realizada no dia 19 de agosto, e quero ressaltar a atuação do vereador Jean Roubert que também é membro da ALPA, Cadeira 25, conseguiu-se fazer ver ao prefeito municipal da justa homenagem que estava se fazendo a Abel Barbosa, criando-se esse Memorial à sua memória.”

Nas instalações deste Memorial Abel Barbosa em que se transforma o Espaço Cultural Raso da Catarina, será instalada a Academia de Letras de Paulo Afonso e a Biblioteca Abel Barbosa criada por esta ALPA desde o dia 31 de maio de 2018, pela Resolução ALPA 01/2018.

Esta é uma homenagem muito merecida a quem criou o município de Paulo Afonso. Nada mais justo que esse espaço histórico seja um tributo à memória de Abel Barbosa.

Imagem apenas ilustrativa sobre foto do Espaço Cultural Raso da Catarina
Queremos agradecer, em nome da Academia de Letras de Paulo Afonso, a sensibilidade do prefeito Luiz de Deus, o empenho e apoio do vereador Jean Roubert e a participação ativa da diretoria e membros da ALPA, especialmente dos presentes a esta reunião, além de Jean Roubert, Francisco Nery Júnior e os diretores Socorro Araújo (Tesoureira), Maciel Teixeira Lima (2º Secretário). Outros diretores, Gorette Moreira, Luiz José e Jovelina Ramalho estavam em atividades de trabalho na hora desta reunião, diz o Professor Antônio Galdino, presidente da Academia de Letras de Paulo Afonso.

 

Comentários